Como melhorar a qualidade de um destino turístico.

Transformando dados em informações capazes de gerar conhecimento e despertar insights que promovam permitam soluções de decisões assertivas.



Todos nós queremos saber como melhorar a gestão de dados para aumentar a competitividade e qualida

de nos destinos turísticos.


Para Peter Drucker, a medição é um dos elos básicos do processo de gestão.

“Você não pode gerenciar o que não pode medir.”

Toda gestão requer coleta e análise frequentes de dados e indicadores para orientar as decisões estratégicas.



Somente com informações atualizadas e confiáveis ​​é possível transformar estratégias em ações eficazes.


Para entender o que são e como construir bons indicadores, precisamos primeiro, distinguir entre dados e informações.


DADOS são elementos isolados, o resultado de um registro qualitativo ou quantitativo que reflete uma simples observação de um determinado fato ou situação.


Enquanto a INFORMAÇÃO é o resultado da análise dos dados, dando-lhes relevância e propósito para apoiar a tomada de decisão.


Aqui uma dica preciosa!


A quantidade de dados não significa sucesso ou qualidade da análise.

Para obter boas informações, é importante escolher os dados mais relevantes e evitar o desperdício de energia com dados não notáveis.


Alguns dados podem não refletir com precisão a realidade, uma escolha precisa dos indicadores retornará uma coleta de dados assertiva para uma melhor análise e consequentemente tomada de decisão.


Por sua vez, todos os indicadores são elementos fundamentais que podem verificar a extensão e a extensão do alcance de uma determinada meta ou objetivo.


Portanto, o maior desafio é estabelecer indicadores que possam ser continuamente coletados e ajudem a avaliar a competitividade atual do empreendimento ou destino e que permitam traçar estratégias para o alcance da melhoria de qualidade, ao mesmo tempo em que todo o sistema interno se mantém atualizado e preparado para atender demandas extremas e de urgência.






Como escolher um indicadores de qualidade


Um indicador de qualidade precisa ser:

  • Específico e relevante - claro, objetivos e refletir os aspectos centrais e fundamentais;

  • Mensurável - pode ser coletado quando necessário;

  • Comparável - segue um modelo que permite avaliação com base em outras realidades;

  • O contexto do espaço e do tempo - é importante que sejam sempre acompanhados por informações relativas à área geográfica e ao período a que se referem.


Assim, no Setor do Turismo, embora seja fácil entender a importância dos indicadores para a gestão, o processo rotineiro de coleta, sistematização e análise de dados está longe de ser uma prática diária.


Nossa educação e cultura não é voltada para gestão, cerca de 8 em cada 10 dos gestores em todas as áreas do setor não têm o hábito de coletar dados, onde 90% destes não são capazes de organizar os dados de forma que permitam insights para uma tomada de decisão racional e não emocional.


Classificação de Indicadores


Mas então, como definir os indicadores capazes de medir a competitividade dos destinos turísticos para melhorar sua gestão?


Primeiro precisamos pensar e agir como um turista, como clientes/usuários de nosso próprio destino ou serviço turístico.

Ao fazer este processo de forma analítica podemos subdividir este “processo” em 6 classes, que de forma lógica forma, moldam a percepção de qualidade do destino em um turista.

As 6 classes são:

  • Acesso

  • Localização

  • Segurança

  • Operadores Humanos

  • Estrutura Técnica

  • Experiência


Cada uma destas classes por sua vez é composta por conjunto de indicadores, onde o número final de indicadores a serem avaliados varia de acordo com o destino turístico ou serviço a ser avaliado.


Conforme mencionado percebido, as atividades turísticas são complexas e cada destino possui suas características, portanto, métodos padronizados não podem ser adotados.


No entanto, posso enfatizar que a capacidade de analisar dados é fundamental para definição de sucesso no que tange a gestão e a qualidade de um destino ou serviço turístico.

Lembre-se: tudo que é medido, mensurável ou quantificado pode ser melhorado.


Na próxima semana falaremos sobre cada classe e os indicadores de qualidade de um destino tuístico.


Gostou da informação, tem alguma dúvida? Deixa seu comentario!!!!